Biopalma vai pagar mais de R$ 128 milhões ao Governo do Pará para quitar danos causados pela queda da ponte de Moju

Publicado em 30/04/2019 por G1 Pará

O pagamento dá fim ao processo movido pela Procuradoria Geral do Pará contra a empresa. Pagamento deve ser feito em 15 dias.
A Biopalma vai pagar mais de R$ 128 milhões ao Governo do Pará para encerrar processo pelos danos causados com a queda da terceira ponte de Alça Viária sobre o rio Moju. A empresa é responsável pela carga transportada na balsa que colidiu e derrubou a ponte. O acordo firmado entre as partes e divulgado nesta segunda-feira (29), foi homologado na última sexta-feira (26).
O valor significa cerca de R$ 25 milhões a mais do que o previsto para a construção de uma estrutura semelhante a anterior. Segundo Procuradoria Geral do Pará (PGE), ao aceitar o acordo, o Estado pretende promover a reparação dos danos com a maior celeridade possível.
“É importante esclarecer que isso permite reconstruir a ponte no modelo estaiado, que é o mais oneroso, mas também o mais seguro, incluindo a construção de defensas, que não existiam na ponte original, e ainda a remoção dos escombros”, destacou o procurador geral, Ricardo Sefer.
Ação encerrada
O acordo cobre os danos causados ao Estado, os terceiros que foram prejudicados com a queda da ponte, precisarão ajuizar suas ações de forma autônoma. A decisão também não impede o prosseguimento da ação do Estado contra os outros réus envolvidos na ação penal.
Com a celebração do pacto, a ação judicial movida pela PGE contra a empresa é extinta. A Biopalma paga o valor pelo prejuízo, mas não reconhece dolo ou culpa pelo acidente. A empresa informou em nota, que vendeu o resíduo na modalidade em que o comprador assume a responsabilidade pela retirada e transporte do subproduto. A Biopalma disse que através do acordo reforça o compromisso social da empresa com a economia e a sociedade paraense.