UFRA e Yara debatem a importância da nutrição com boro para o pleno desenvolvimento da Palma de Óleo

Publicado em 26/04/2019 por CDI Comunicação

O Grupo de Estudos em Nutrição da Palma de Óleo (Nutripalma), iniciativa da Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA), em parceria com a Yara, realizou na última segunda-feira, 22, uma mesa-redonda para debater a importância dos micronutrientes para o desenvolvimento da palma de óleo. A cultura vem ganhando mercado no Brasil e no mundo e seu óleo é utilizado como matéria prima para a produção produtos de largo consumo como margarinas e cremes, sorvetes, biscoitos, chocolates, recheios, substitutos de manteiga de cacau e óleo de cozinha. Na ocasião participaram professores, estudantes de graduação e pós-graduação da UFRA e especialistas do setor produtivo. 
O Brasil está entre os 10 maiores produtores da cultura no mundo, com cerca de 350 mil toneladas de óleo, de acordo com a Associação Brasileira de Produtores de Óleo de Palma (ABRAPALMA). Seu cultivo requer alguns cuidados essenciais em relação à nutrição para que alcance seu máximo potencial produtivo. Durante o evento, foi debatida a relevância do boro para melhorar a produtividade e qualidade de frutos, além de diminuir os estresses abióticos e bióticos. 
"A discussão sobre a atuação do micronutriente boro na cultura não é recente, mas ainda esbarra em dificuldades relacionadas ao diagnóstico de deficiências, monitoramento e formas de correção na nutrição. O boro é o principal micronutriente da palma de óleo e desempenha funções metabólicas e estruturais de grande importância para o desenvolvimento das plantas, influenciando na produtividade dos frutos", afirma Daniel Nolasco Machado, especialista agronômico da Yara e um dos palestrantes do evento. 
Na ocasião os especialistas discutiram que o avanço nos estudos sobre a nutrição da palma de óleo traz informações sobre a importância não só do boro, mas de outros micronutrientes de grande importância que ainda não são considerados no manejo, como manganês, cobre e zinco. Para Machado, entender a dinâmica do boro e de outros micronutrientes na cultura de palma de óleo, assim como fazer uma correta avaliação das melhores práticas para suprir e corrigir suas deficiências, aumenta a segurança dos produtores, além de proporcionar uma maior profissionalização do setor e garantir sustentabilidade para a atividade e o meio ambiente. 
Sobre a Yara 
Em colaboração com clientes e parceiros, a Yara cultiva conhecimento para alimentar o mundo e proteger o planeta de forma responsável, para cumprir sua visão de uma sociedade colaborativa, um mundo sem fome e um planeta respeitado. 
Nossas soluções para nutrição de plantas e agricultura de precisão permitem aos produtores aumentar a produtividade e melhorar a qualidade do produto, enquanto reduzem o impacto ambiental. Nossas soluções ambientais e industriais melhoram a qualidade do ar e reduzem as emissões, além de serem ingredientes-chave na produção de uma ampla linha de produtos. Adotamos uma cultura aberta de diversidade e inclusão que promove a segurança e a integridade de nossos colaboradores, contratados, parceiros de negócios e da sociedade em geral. 
Fundada em 1905 para resolver a emergente crise de fome na Europa, a Yara está presente no mundo todo, com mais de 16.000 colaboradores e operações em mais de 60 países. Em 2017, a Yara registrou uma receita de US$ 11,4 bilhões.